Visitamos um paraíso a 2hrs de Goiânia que todo aventureiro precisa ver com os próprios olhos

O Morro dos Pireneus é um ponto turístico ainda pouco conhecido pelos visitantes

src

por

14/01/2016 às 16:31 - Atualizado em 13/03/2020 às 16:23

Faça uma avaliação

Um verdadeiro paraíso que fica aqui bem próximo da capital e é pouco explorado por turistas é o Morro dos Pireneus localizado na cidade de Pirenópolis que é uma das cidades turísticas queridinhas de Goiás, e o destino dos românticos e amantes da natureza.

ebae7421326f9dd1745a8b2414ddcb3a.jpgFoto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

Vista parcial do alto do Pico dos Pireneus.

Quem conhece a cidade sabe que uma das maiores atrações da pequena Piri é o pôr do sol, e se for visto do pico mais alto da região é ainda mais lindo. Com mais de 1300 metros de altitude é possível ver a cidade inteira e os arredores no alto do Parque Estadual da Serra dos Pireneus.

3b1983757457b9850c5ded52b675f9da.jpgFoto: guiamelhoresdestinos

O acesso é um pouco difícil e exige um pouco dos carros, e a trilha na subida a pé é de nível intermediário, ou seja, se você é daqueles que não gosta de trilha, melhor se aventurar em um local mais próximo na cidade, porque a trilha exige um grau relevante de esforço, mas nada que você não consiga cumprir em meia hora de caminhada ladeira acima onde a capelinha no pico da Serra marca o entardecer mais bonito em Goiás. O trajeto do Centro de Pirenópolis até a Capelinha está em torno de 20 km.

 

Pico dos Pirineus

Pirineus26Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

27cb169b265aef97895f19928b81b10c.jpgFoto: Guia Melhoresdestinos

O pico fica situado na divisa dos municípios de Pirenópolis e Cocalzinho de Goiás e é um dos principais atrativos do Parque Estadual da Serra dos Pireneus e costuma-se dizer que é um lugar para quem tem coragem, pois ele tem 1385 metros de altitude, o equivalente a um predio de 461 andares, e não é tão fácil assim chegar ao ponto mais alto. Mas se você tem coragem, disposição e quer ter uma excelente história pra contar, acredite, vai valer a pena, pois em seu topo existe uma capela dedicada a Santíssima Trindade. É composto por rochas quartizíticas, de origem sedimentar, muito antigas, datadas como sendo do período pré-cambriano, mais de 1 bilhão de anos.

Pirineus1Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

Cristais que são encontrados em meio as rochas no local.

De seu cume é possível avistar diversas cidades, tais como Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Jaraguá, Edilândia, Abadiânia, Luziânia e Planalmira. E a noite, avista-se o esplendor de 9 cidades, entre estas estão Brasília, Anápolis e Goiânia.

 

Um Pouco da História

Importante marco geográfico, foi objeto de principal interesse da Comissão Crulz, grupos de cientistas que por aqui estiveram em 1892 para a demarcação o quadrilátero do Distrito Federal. Havia entre os cientistas da época uma forte dúvida quanto a altitude deste pico. Padre des Genettes havia afirmado que sua altitude era de aproximadamente 3.000 metros. Uma Comissão calculou com precisão a sua altitude e deixou no local um documento com o seguinte teor:

"Ascensão ao Pico dos Pyreneus - Alto do pico mais elevado, em 8 de Agosto de 1982.- Ás 12 horas da manhã do dia 8 de Agosto de 1892, 4° da Republica dos Estados-Unidos no Brazil, chegou ao alto d´este pico, o mais elevado d´entre os dos Pyreneus, a Comissão Exploradora do Planalto Central do Brazil e aqui fez observação para determinar com a maior precisão as coordenadas d´esta posição.

E, para attestar em qualquer época a sua presença, lavrou este documento que é por todos assignado e que depois de convenientemente lacrado, fica depositado no alto do próprio pico.

Assinaram: -L.Cruls. – Antonio Pimentel.- H. Morize.- Tasso Fragoso.- Pedro Gouvêa.- A. Abrantes.- Alipio Gama.- Hastimphilo de Moura.- P.Cuyabá.- Henrique Silva.- Paulo de Mello."

Pirineus7Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

47ec0691495182b235f094a2e90248f3.jpgFoto: Guia Melhoresdestinos

O turista pode ver a capela no alto do morro antes mesmo de começar a trilha.

Em 1927, Cristovam José de Oliveira construiu uma pequena capela sobre o pico, que originalmente era de madeira, e foi realizada a primeira missa em 18 de junho de 1827 pelo padre Santiago Uchôa e mais 35 pessoas. Nesta época, mandaram talhar na rocha do pico a seguinte inscrição:

“Salve D. Emmanuel

9-7-930

Pyreneus de Goyaz

Tú és pedra

e sobre esta pedra

ficará a imagem

de quem te fez 

22-9-29”

Pirineus23Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

A rocha que fica no alto do morro. 

O parque é aberto 24 horas por dia sem guarita e a entrada é livre e gratuita, No trajeto do Parque há uma cahoeira chamada Sonrisal, pouco conhecida e muito cobiçada por quem conhece. Com um acesso um pouco sifícel, para encontrá-la é preciso estar atento, pois não há sinalização para chegar até ela. Para chegar nela tem que pegar a Rodovia dos Pirineus. Você passará pela entrada de várias cachoeiras (como Lázaro & Santa Maria, Abade e Coqueiro). Quando entrar no Parque Estadual da Serra dos Pirineus, a trilha do Sonrisal estará à direita uns 200 ou 300m depois dessa espécie de imenso portal de madeira.

(foto abaixo):

fbd7602f9382ba21680712d2d1387da3.jpgFoto: viaje ao leo

 

TURISMO

Todo ano, no mês de julho, acontece a festa religiosa que é realizada deste 1722 na época de lua cheia nos picos dos Pireneus, com acampamentos em sua base. Levando a imagem da Santíssima Trindade, à noite sob a luz do luar. A festa é o único momento que é permitido acampar no local, apesar de ser um acontecimento religioso, é bastante abrangente, e frequentada por muitos jovens que buscam contato com a natureza. Para a subida do morro algumas precauções são necessárias, pois é uma caminhada um pouco longa. Tênis confortáveis e leves são recomendados, água é um item indispensável, ainda mais se for em dias de sol, mas sem dúvida o mais importante é estar sempre acompanhado de um guia local que conhece o trecho e pode dar dicas de qual trilha seguir. Durante o percurso a natureza faz a sua parte e presenteia o turista com maravilhosas de orquídeas, bromélias e muitas outras espécies de flores e plantas que só o cerrado oferece.

Confira as fotos desse paraíso chamado Morro dos Pireneus e programe-se para conhecer cada pedacinho do lugar. Vale muito a pena conhecer o Morro dos Pireneus e se encantar com as belezas naturais desse lugar.

Pirineus2Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

Capela situada no alto do morro.

Pirineus4Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

A capela que foi reconstruída.

Pirineus5Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

Imagem que fica na parta interna da capela.

Pirineus6Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

A capela recebe visita de turistas que várias partes do país. 

Pirineus8Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

Vista parcial da parte norte do morro.

Pirineus9Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

Vista dos pés do morro do Pireneus.

Pirineus10Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

Vista da trilha durante a subida.

Pirineus11Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

Vista parcial da parte leste do morro.

Pirineus12Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

Solo rochoso e plantas do cerrado fazem parte da paisagem durante a subida.

Pirineus13Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

Árvores nativas do cerrado compõe um cenário único aos turistas que passam pelo local.

Pirineus14Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

 

Um paredão de rochas que pode ser escalado pelos praticantes de motanhismo.

Pirineus15Foto: Marcos Aleotti / Curta Mais 

 

Vista da cidade de Abadiânia.

Pirineus16

Vista da cidade de Cocalzinho de Goiás.

Pirineus17

Paredão de rochas que corta a trilha.

Pirineus18

Vegetação do cerrado que cerca a trilha.

Pirineus19

Vista parcial a parte sul do morro.

Pirineus20

Cruz que fica na capela na parte de cima do morro.

Pirineus21

Vista da parte de baixo do morro.

Pirineus22

Capela. 

Pirineus24

Escadaria de acesso a parte final da trilha.

Pirineus27

A cada passo rumo ao pico do morro maior e melhor se apresenta a vista panorâmica.

Pirineus25

Vista parcial do alto do morro.  

Pirineus28

Santíssima Trindade que fica no inteiror da capela. 

 

Serra dos Pireneus, Pirenópolis-GO

Distância: 20 km do trevo de saída de Pirenópolis

Horários de visitação: Todos os dias 24h

Entrada Franca

Informações: João (Guia Local) e www.pirenopolis.tur.br

Maiores informações: CAT Pirenópolis: (62) 3331-2633

Fotos: Marcos Aleotti e Japa Jukemura

Você também pode gostar

Clube Curta Mais
Clube de vantagens e descontos exclusivos
Acesse