12 curiosidades sobre a história do Carnaval que você provavelmente não sabia

Diferentemente do Natal e da Páscoa, pouca gente sabe o significado dessa festa

src

por Renan Camiran

21/02/2020 às 09:30 - Atualizado em 21/02/2020 às 17:40

Faça uma avaliação

O carnaval brasileiro é conhecido pelo samba, fantasias, carros alegóricos e marchinhass. Porém, apesar de ser conhecido como o País do Carnaval, o Brasil não é o pioneiro dessa festa. Também se engana quem pensa que o Carnaval sempre foi um período de júbilo anterior à quaresma, pois, antes mesmo de Cristo, as pessoas já possuíam o costume de realizar comemorações peculiares em datas próximas ao equinócio de primavera.

Diferentemente do Natal e da Páscoa, pouca gente sabe o significado dessa festa. Pensando nisso, preparamos uma lista com 12 curiosidades sobre a história do Carnaval para você impressionar os amigos, o mozão ou usar naquele momento que lhe falta um assunto, confira:

1. Na Babilônia ocorriam festividades marcadas por inversão de valores, nas quais era permitido aos servos vestirem-se e comportarem-se como reis. Há relatos que também era permitido dormir com suas esposas.

2. Na Mesopotâmia ocorria um ritual no templo de Marduk, um dos primeiros deuses mesopotâmicos. Nele, retirava-se do rei ou sacertdote todos os adornos que com referência ao poder e santidade e os surravam em frente à estátua de Marduk. Após representar a sua total submissão ao deus, o rei e/ou sacerdote reassumia sua posição.

3. A entrega aos prazeres da carne provavelmente surgiu na Grécia em celebrações ao deus do Vinho, conhecidas como festas Dionisíacas. Baco, também conhecido como Dionísio, era cultuado pelos gregos como deus das festividades, da libido, da fecundidade e da desordem. Nessas festas, portanto, era comum às pessoas vestirem-se de forma inversa à sua realidade (ricos/pobres, homens/mulheres) e entregarem-se aos prazeres da carne. É preciso explicar a relação entre Baco e Bacanais?! (risos).

7946e23d1736c512d41cf9ef26e16045.jpg Arte: Baco/Dionísio - Caravaggio

4. Uma outra festividade representava a inversão de valores sociais e ocorria em Roma nessa época , a Lupercália. Simbolizava o fim do ano romano, mas também tinha o significado de purificação espiritual das cidades e culto às divindades infernais. As festividades eram marcadas por rituais, danças e comida. Em 494 d.C, o Papa Gelásio considerou-a como pagã e, tentou cristianizar a data, instituindo o dia de São Valentim (dia dos namorados).

5. Consideradas como pagãs pelos religiosos essas festas foram mitigadas quando, na Idade Média, a Igreja Católica viu a oportunidade de instaurar a Quaresma. A partir de então, o Carnaval foi celebrado como um período de liberdade anterior aos 40 dias de total submissão aos ritos religiosos.

6. A palavra Carnaval tem origem no latim, carnis levale, e possui como significado "retirar a carne". Porém, há muitos questionamentos sobre o verdadeira significado da palavra. Os mais relevantes são “privar-se de carne” e “entrega-se aos prazeres da carne”. Seja qual for, opte pelo que mais te agradar.

7. Com a influência da Igreja, o Carnaval foi disseminado a outros países cristãos, como festa antecedente à Quaresma.

8. Durante a transição da Idade Média para o Renascimento o carnaval já era comemorado, por grande parte da Europa e marcado pela liberdade e inversão de valores. Seus principais elementos eram a dança, a música e a comida. Era era comum homens se vestirem de mulheres e mulheres de homens.

9. O Carnaval foi trazido para o Brasil pelos portugueses, que possuíam como festa o Entrudo, no qual era comum às pessoas se reunirem para jogar água, frutas, farinhas e outros itens comestíveis umas nas outras. Esse ato hoje é conhecido como ‘guerra de comida’ e, na época, foi um dos responsáveis por introduzir práticas de brincadeiras na cultura carnavalesca brasileira.

10. Há quem diga que as famosas marchinhas são assim conhecidas por incorporarem músicas e danças ao tradicional estilo de marcha militar.

11. O Samba como dança é considerado patrimônio histórico brasileiro, sendo entendido como resultado de uma mistura de ritmos, tradições e elementos. Teve como principal influência a cultura africana trazida pelos escravos para o Brasil em forma de festejos e batuques. Posteriormente foi agregado a outros ritmos, sobretudo aos versos e refrões cariocas.

12. O Carnaval não ocorre apenas no Brasil. Na Rússia ele é conhecido como Maslenitsa, dura quase uma semana e tem como tradição várias brincadeiras, dentre elas uma que faz as pessoas comerem todas as panquecas de um ano em um dia e outra que basicamente consiste em construir uma boneca e queimá-la. Na Suécia, o Carnaval ocorre no inverno, o costume é ingerir comidas calóricas e bebidas quentes. Já um dos maiores, senão o maior Carnaval do exterior, ocorre no Japão e é conhecido como Carnival Asakusa, nele é comum a presença de sambistas e carros alegóricos.

Maslenitsa (Rússia)

cb46f38f021055cc1e5921e9ef88e52b.jpg Foto: Speechling/reprodução

 

Carnival Asakusa (Japão)

9613bb30cc05dc4bd91b595163a87185.jpg Foto: Lifeisamt/youtube-reprodução

 

O Brasil, multicultural como é, aderiu à quase todas as tradições históricas dessa lista.

Alguém discorda?

Você também pode gostar

Clube Curta Mais
Clube de vantagens e descontos exclusivos
Acesse