23/01/2018 19:48
Notícias / Conteúdo

Um dos maiores acervos de HQs do país, Hocus Pocus preserva cultura e a arte de garimpar

São 25 anos de história dos mais tradicionais sebos em Goiânia. Conheça!

Mariana
por Mariana Magalhães

Hocus Pocus é o nome de um encantamento utilizado por mágicos do século XVII, que dizia mais ou menos assim: hocus pocus, tontus talontus, vade celerita jubes. E tinha a função de criar um ar de mistério em suas performances. A origem do termo na verdade permanece obscura. Mas no sentindo mais amplo, ela se aproxima do significado de “Abracadabra”.

E é nesse lance místico e inexplicável que a cena cultural de Goiânia ainda tem um dos sebos mais surpreendentes da capital, com um dos maiores acervos de histórias em quadrinhos do país, sem abrir mão do tradicional hábito de garimpar.

O nome Hocus Pocus trouxe sorte aos seus idealizadores e já são 25 anos de resistência. Começaram com quadrinhos. Dos mais velhos aos mangás. De Ton Mix a Naruto. Um bando de personagens passou a frequentar a loja. Cada um mais figura que o outro. Conheça a história desse lugar incrível!

7983eee119405eb636b8761e02b44c40.jpg

Os 25 anos mágicos

O universo literário e das histórias em quadrinhos (HQ) sempre fizeram parte da vida dos irmãos Luiz Fafau (59) e Moacir Junior (53), naturais de Goiânia. Na segunda metade dos anos 80, mais precisamente entre 1986 e 1987, demonstraram interesse em trabalhar com cultura alternativa, embora se dedicavam ao mercado da publicidade e do comércio.

Na época, tanto Luiz quanto Junior já mexiam com fanzines, revistinha xerocada de poesia, tinham muitos contatos com fanzineiros do Brasil inteiro e de quem fazia jornais alternativos. Além disso, eram frequentadores assíduos de tradicionais sebos da capital, quando a prática de garimpar e colecionar ainda era um grande fascínio.

A ideia de montar o próprio sebo não tardou. No início dos anos 90, Junior e Luiz abriram mão de seus empregos, juntaram as economias e investiram em Livros e Vinis. Abriram uma banca na antiga feira hippie, quando ainda era na Av. Goiás, que se chamava Banca Nacional de Literatura Independente. Depois a ideia teve endereço fixo: Avenida Araguaia, no Centro. Era a realização de um sonho para 2 jovens colecionadores que, na raça e na coragem, criaram em Fevereiro de 1992, um dos mais importantes sebos de Goiânia.  

  1d0afa469121aad8b8459bfd85aef661.jpg

“Abrimos longe do eixo dos sebos tradicionais da capital, que ficavam na rua 4 e na Av. Goiás, pra não parecer que estávamos pegando carona na onda. Tivemos um início bem difícil, por falta de material, falta de dinheiro, mas resistimos e criamos nossa própria clientela”, conta Moacir Junior sobre como tudo começou.

Antes de abrir, os irmãos tinham a velha dúvida de que nome colocar na loja.  Eles queriam um nome diferenciado, um nome que não soasse muito óbvio, algo que pudesse se relacionar com espírito cultural dos dois.  O hábito de escutar rock progressivo trouxe a inspiração que precisavam. E ao ouvirem “Hocus Pocus” da banda Focus não tiveram dúvida. Era aquela sonoridade que procuravam!

5a62777ba119c151c2ff0411d69f02b1.jpg

A arte de garimpar

A Hocus Pocus, no início, não tinha móveis. Os HQs, discos e outros produtos eram expostos no chão mesmo. A popularidade veio com a galera mais ligada a cultura pop, alternativa, um público rock’n’roll, que começou a frequentar a loja e fazer shows. “Pegamos o bonde da era underground", lembra Junior sobre a transição dos anos 90 para 2000, quando Goiânia construía a cena do rock independente.

O hábito de promover encontros entre bandas na loja atraiu gente nova, novos clientes e, de certa forma, criou-se uma identidade Hocus Pocus. Naquela época, sebo era mais popular, muito mais do que é hoje.

O sebo ainda tenta preservar essa coisa do autoatendimento. A pessoa entra e circula onde ela quiser. E decide se quer ou não levar. E se tiver uma dúvida, é só perguntar. “Não fica ninguém atrás enchendo o saco. E isso é uma coisa que a gente não quer perder porque eu acho que faz parte da filosofia do sebo, a coisa do garimpar”, explica Luiz sobre essa coisa da identidade da loja.

Para os irmãos, a arte de garimpar é praticar a experiência de ir até a loja sem pressa para conhecer, pois mesmo que não ache o que procura, você pode se deparar com outra que nem estava procurando, mas que é tão interessante quanto. Hocus Pocus hoje é a maior loja com acervo de Histórias em Quadrinhos do centro-oeste. Sem sombra de dúvidas, uma referência.

Leia mais: Conheça outros sebos em Goiânia que são verdadeiros tesouros escondidos

5c907f8391c1cb174f52659aab336499.jpg

Na Hocus Pocus é possível encontrar vastas opções da literatura mundial, quadrinhos contemporâneos e oitentistas, além de camisetas, chaveiros, objetos de decoração e do universo geek. E o preço é digno dos tradicionais sebos do mundo: 95% do acervo da Hocus Pocus custam apenas R$ 10. Para se ter uma ideia, com 10 reais dá para levar até 10 gibis contemporâneos, por exemplo. A loja tem muitas revisitinhas dos anos 80, como Homem Aranha.

A experiência Hocus Pocus já rendeu situações surpreendentes, ainda mais nessa "era google". O proprietário Junior conta que certa vez um jovem cliente entrou na loja e ficou impressionado ao tocar pela primeira vez em um mangá do Naruto, pois já tinha lido todas as 75 edições daquela revistinha apenas de forma online. Se por um lado a internet democratizou, por outro se despediu da fascinante arte de garimpar.

1aad9f336faed190dd91135e44bb0cd8.jpg

O segredo da resistência

Por seus 25 anos de resistência, sem perder a essência de sebo, podemos considerar a Hocus Pocus um patrimônio histórico e cultural de Goiânia, não é mesmo? A loja atravessou gerações. Pais que frequentavam o sebo na adolescência, hoje levam filhos e os filhos levam os amigos. Assim, o vínculo tem se mantido ao longo dos anos.

Mas qual o segredo de resistir tanto tempo, sobretudo em um cenário desfavorável para essa cultura de sebos? Os irmão Hocus Pocus acreditam no poder do acesso à leitura para transformar o mundo, e por isso ainda levam o projeto adiante.

“Existe uma falácia quando se diz que o brasileiro não gosta de ler. Acho que o brasileiro não tem oportunidade de ler. Livro é muito caro. E o sebo vem pra democratizar um pouco, dar esse acesso. E a gente não almeja lucros. Não dá para depender desse poder instituído como parâmetro para melhoria da vida das pessoas. Mas na medida que você lê, que toma senso crítico das coisas, acho que você tem mais condições de ampliar as portas da percepção e mudar algo. Então leia que o Brasil melhora, esse é nosso mantra para seguir em frente”, diz Luiz. 

Conheça mais da Hocus Pocus pelas lentes do fotógrafo @MarcosAleotti

730b83648218e35e556af2fb1fc93714.jpg

79638a89a52764ad0e284a2c1858ffc2.jpg

c893df521baff27d7ad15c7f401cb5c2.jpg

7bb02ac96d39a0ff9715450f74d9670c.jpg

ee5a14a911e2584d6facb00e89e5c3ca.jpg

01a84a371880e1363f57ba28420de5b4.jpg

fa83b40daddf6ad9ea6d0d971443c23c.jpg

2283b9bf8ac508b34559e4a70c4aab10.jpg

0b23537d3e7e7fb086800687ac7fbdd0.jpg

f14cc0d730d45f21d2e454b4800e7572.jpg

 e3101c867d6d83b1bf41458c30388332.jpg

aa32d6adadfde0c0fb323fa74141306a.jpg

9900f54e213b2c05c338e2e13461f5b8.jpg

5421c10d958de9722d706be74b1ab600.jpg

1024a07aaace8903c9b6aab6f4427843.jpg

4fba27c6851fec8acf5142c5fb97cd79.jpg

f87726b5c7d36f87162fb7eedc7cb499.jpg

77004e50853e87bbfbea962d8f43262f.jpg

6e242aab0f5b2aa150fdfe4dca25dfdb.jpg

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ Notícias

Projeto fotográfico seleciona mulheres para ensaios gratuitos em Goiânia

Projeto Utopia 2018 tem como objetivo resgatar a autoestima das mulheres porque elas são fantásticas, complexas e lindas


+ Notícias

Preso em Goiânia médico acusado de abusar sexualmente de pacientes

Com mais de 30 anos de profissão o ginecologista chegou a submeter uma paciente à prática de sexo oral


+ Notícias

Grande Hotel de Goiânia celebra 81 anos de história

Espaço concentra museu, centro cultural, biblioteca infantil e é palco de vários eventos de música e literatura



+ Notícias

Goiânia ganha primeira Estação da Turma da Mônica do país

O parque de 1.600m², inspirado nos famosos personagens dos quadrinhos, será inaugurado ainda no primeiro semestre deste ano


+ Notícias

Nova unidade de medida de tempo é inventada pelo Facebook

Conheça o "Flick", medida de tempo muito menor que segundos.


+ Notícias

Conheça os filmes indicados ao Oscar 2018

O grande destaque fica por conta de 'A Forma da Água', que conquistou 13 indicações


+ Notícias

Concurso premia estudantes com viagem para a Inglaterra

Realizado pelo British Council em 32 países, inscrições para o FameLab vão até dia 28 de fevereiro


+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2018. Todos os direitos reservados.