17/09/2019 00:22
Notícias / Conteúdo

Por colega deficiente, alunos têm dia com cadeira de rodas no interior de São Paulo

Atividade proposta por professor, a fim de inspirar empatia, surpreende

por Curta Mais

Por conta de uma paralisia cerebral, frequentar a turma do 4º ano, passou a exigir para Kauã Henrique da Silva Fotunado, 9, bastante exforço e disciplina pois seus movimentos de mãos e pernas foram comprometidos e ele precisa de ajuda para se deslocar cerca de 30 metros quando quer ir ao banheiro ou ao intervalo.

Ciente do esforço e visando insentivar a empatia nos alunos, o professor Leandro Ferreira decidiu propor uma atividade aos pequenos colegas: compreender os desafios da limitação física de Kauã usando eles mesmos uma cadeira de rodas.

Uma vez a cada dois dias, um aluno da turma do 4º ano C da escola municipal Reginal Mallouk, de São José do Rio Preto, é escolhido para se locomover sobre rodas.

"Eles têm que ir ao banheiro, ao recreio, apontar o lápis e fazer todas as atividades na cadeira de rodas", afirma o professor.

Desde que começou ser aplicada, a atividade logo desertou a atenção de todas as crianças:

"A gente acha que é fácil ficar em uma cadeira de rodas porque só fica sentado, mas é bem difícil. Dói as costas e os braços. E tudo o que vamos fazer demora muito muito mais", conta Micael dos Santos Lopes, 9.

d9c1ab22a32b94887417e992b404fa82.jpg
Micael dos Santos conduz o colega Kauã na cadeira de rodas - Ferdinandoo Ramos/Folhapress

A ideia do professor parece ter agradado o garoto, "O humor e o comportamento dele melhoraram depois que ele passou a ver os colegas em uma cadeira de rodas. Penso que ele se sentiu igual e está mais feliz" conta Roselaine Silva, estagiária e auxiliar do menino nas atividades escolares.

Vários alunos já passaram pela experiência, e todos os alunos que participaram da atividade, hoje disputam os cuidados com o Kauã:

" Todo mundo quer ajudar ele, empurrar a cadeira dele. Dá até briga" diz Gabriella Fernanda da Cunha, 9.

"A gente vai revezando, cada dia é a vez de um ajudar o Kauã", conta Miguel Coelho da Silva, 9.

Kauã teve paralisia cerebral durante o parto, o que comprometeu o seu desenvolvimento motor e cognitivo.

O garoto sorri para os amigos e, mesmo com a dificuldade na fala, diz o quanto gosta de estar ali. "Eu amo vir à escola".

5d922869a17e1cf897fb6e7282d4b937.jpg
Micael passou o dia como cadeirante para entender os desafios de Kauã Fortunado, 9, que tem paralisia cerebral - Ferdinando Ramos/ Folhapress

"Quando o professor me procurou falando do projeto, fiquei feliz por ver que eles se preocupam com o bemestar do Kauã. A interação dele com outras pessoas melhorou bastante. Ele não gosta de faltar à escola por nada", diz mãe de Kauã, Kele da Silva Souza.

Antes da atividade ser implantada a mesma passou pela aprovação dos pais e dos alunos, que aceitaram o desafio. Então, todos os 28 alunos da classe - e também o professor - já passaram pelo "dia do cadeirante". Agora o projeto foi estendido a todos os funcionários da escola.

Segundo João Cardoso Palma filho, pedagogo, doutor em educação e especialista em política educacional da Unesp a ideia do docente desenvolve nas crianças um espírito solidário:

"Vai influenciar na formação do caráter delas, à medida em que educa em relação ao diferente e facilita a convivência entre os diferentes".

Matéria feita com base em dados encontrados no site Folha de São Paulo.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ Notícias

Orquestra e Coro Sinfônico de Goiânia se preparam para apresentar a primeira ópera na capital

A narrativa parte de uma história verídica que se passa em Catalão (GO) com um farmacêutico acusado de um crime


+ Notícias

Juíza testa suco de uva para facilitar audiências de conciliação em Goiás

A ideia é fazer com que as pessoas envolvidas em uma ação tomem decisões mais lúcidas e racionais


+ Notícias

Mulher compra pé de alface em Goiás e dá de cara com uma cobra

O caso aconteceu na cidade de Goianésia (GO) na casa de uma moradora da cidade


+ Notícias

10 maneiras criativas e econômicas pra fugir do calor em Goiânia

Onde comer, beber e até curtir o calorão!


+ Notícias

Até a caixa d'água não suportou tanto calor e derreteu!

O fato aconteceu na chácara de Egídio Alves, que fica a 11 km do centro de Araguarças


+ Notícias

Em tempos de seca, Ipês colorem a paisagem de Goiânia

Mais de dez mil ipês encantam os olhos de quem vê, em vários cantos da cidade


+ Notícias

Em tempo seco, veja alternativas para cuidar de seu pet

Essa época do ano, vem prejudicando a saúde dos animais, porém é importante cuidar bem do seu pet


+ Notícias

Sem previsão de chuva, Goiânia se aproxima dos 40ºC e registra calor histórico

Calor não dá trégua e temperaturas são comparadas com o deserto do Saara


MAIS LIDAS DE HOJE

+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2019. Todos os direitos reservados.