14/11/2019 20:26
Curiosidades / Histórias

Jardineiro da Comurg troca a enxada pelo diploma de jornalismo em Goiânia

Uniformizado, Luciano Magalhães apresentou TCC de jornalismo sobre mulheres garis e ganhou nota 10 de excelência

Bianca
por Bianca Stephania

Luciano Magalhães Diniz, jardineiro da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), após 13 anos servindo a cidade, trocou a enxada pelo diploma de jornalismo. Aos 44 anos, pai de três filhos, o jardineiro com orgulho realiza um sonho antigo na Faculdade Sul-Americana.

A imagem pode conter: 9 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área internaLuciano após apresentar seu TCC na Faculdade Sul-Americana

Luciano entrou na Comurg em 2006 após passar em um concurso público. Desde então, sempre cuidou das ruas, praças e jardins da cidade e aproveitava para fotografar as paisagens que encantavam seus olhos. Ao perceber a beleza e o talento, realizou uma exposição fotográfica: "Goiânia em preto e branco". Com isso, Luciano lançou um livro chamado “Resíduos de uma Goiânia em Preto e Branco”, com um acervo de cerca de 2.000 fotos. Não satisfeito, o rapaz decidiu entrar para o curso de jornalismo e realizar um dos seus sonhos.

Exposição e livro mostram trabalho dos garis na cidade de Goiânia Goiás (Foto: Reprodução/Luciano Magalhães Diniz)

Fotografo Luciano Magalhães (1)hyuT

Foto de Luciano Magalhães Diniz1Fotos do Luciano Diniz na exposição "Goiânia em preto e branco"

Nesta terça-feira, 27 de agosto, o jardineiro apresentou seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) com o tema “Sou Mulher, Sou Gari”, que buscou retratar o universo das trabalhadoras da limpeza urbana em Goiânia. Uniformizado, Luciano mostrou um universo de muito sacrifício, humilhações, mas também muitas conquistas. Segundo o jardineiro - agora, jornalista, essas mulheres são "Invisibilizadas pelo uniforme laranja, estereotipadas como pessoas que 'não conseguiram nada melhor na vida', demonstram ter além da força física necessária ao trabalho, uma garra invejável na busca por uma vida confortável." Após a apresentação, ele ganhou nota 10 de excelência.

8a3a5b7cf1596bc76cfcb2f05dd3b17b.jpgFoto: Facebook / Arquivo Pessoal

De acordo com Luciano, “é dever do jornalismo expor esse tipo de situação, quebrar estereótipos e as fotografias são ferramentas importante da nossa profissão”. Para o recém formado em Jornalismo, é importante humanizar essas trabalhadoras que fora do uniforme laranja têm uma vida como a de qualquer outra pessoa e que dentro do uniforme laranja têm muito orgulho do trabalho que desempenham, por entender a importância dele para a cidade e pela possibilidades que essa profissão ofereceu a elas.

a461de63211138b8a0f5640c8986e84d.jpgFoto: Facebook / Arquivo Pessoal

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ Curiosidades

Pessoas que mais te irritam são as que mais se parecem com você, revela estudo

‘Tudo que incomoda você sobre outros seres é apenas uma projeção do que você não resolveu em si mesmo’


+ Curiosidades

Zeca Pagodinho pode substituir Roberto Carlos no especial de fim de ano da Globo: Será?

A sugestão foi dada no Twitter e até o próprio Zeca se animou com a ideia


+ Curiosidades

HaTuna ou HaKuna Matata: Qual é a expressão correta Pumba?

Entenda o que significa a frase africana que nasceu muito antes do filme O Rei Leão


+ Curiosidades

Goiano cria a nova febre do WhatsApp: os grupos de imitação

Só podia ser de Goiânia, né!


+ Curiosidades

Do tráfico ao time do Goiás: Conheça a história de Michael, o atacante destaque do Brasileirão

'Passa um filme na minha cabeça, eu não era nada', diz o jovem


+ Curiosidades

10 motivos para você assistir o filme Coringa (Joker) hoje!

Sim, nós já assistimos o filme do ano!


+ Curiosidades

Será que o bairro Bela Vista é tão belo quanto o nome?

Um lugar simples, mas ao mesmo tempo, exuberante!



+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2019. Todos os direitos reservados.