15/09/2019 06:36
Notícias / Conteúdo

Ex-presidente da UEFA, Michel Platini, é preso por suspeita de corrupção envolvendo a Copa do Catar

A investigação é sobre um almoço na sede do governo francês em novembro de 2010 onde a Copa teria sido "vendida" ao Catar

Isabela
por Isabela Albuquerque

O ex-presidente da União das Associações Europeias de Futebol (UEFA) foi preso na manhã desta terça-feira (18), em Paris por suspeitas de corrupção envolvendo a Copa de 2022. Michel Platini é ex-jogador e, com 63 anos, era um dos investigados em operação que checa por possíveis irregularidades na escola do Catar como sede do próximo Mundial da FIFA. As informações são do site MediaPart.

Além de Platini, a operação mantém presa a ex-conselheira do ex-presidente francês Nicolas Sarkozy, Sophie Dion, por “suspeita de atos ativos e passivos de suborno”. O antigo secretário geral do governo, Claude Gueant, também foi chamado para depor em condição de “suspeito livre” pelo Escritório Central de Luta contra Corrupção e Infrações Financeiras e Fiscais (OCLCIFF).

Em 2016 foi aberta a primeira investigação na escolha do Catar como sede da Copa de 2022 pela Promotoria Financeira Nacional (PNF) da França. No ano seguinte, Platini foi ouvido como testemunha e admitiu que votou no Catar em dezembro de 2010, quando o país foi apontado como sede do Mundial.

Houve uma série de controvérsias em relação à adequação do país para ser sede do Mundial. As alegações de corrupção dentro da FIFA levantaram algumas perguntas sobre a legitimidade da licitação do Catar. O ex-vice-presidente da organização, Jack Warner, afirmou que um e-mail havia sido divulgado alegando que o país “comprou” a Copa, o que foi negado pela FIFA.

De acordo com o jornal Le Monde, de Paris, o foco da investigação seria um almoço organizado no Palácio do Eliseu, sede do governo francês, em novembro de 2010, onde estavam presentes o então presidente Nicolas Sarkozy, Michel Platini, Tamim Ben Hamad Al Thani, o Emir do Catar, e o então primeiro ministro do emirado, Sheikh Hamad, Bem Jassem.

Michel Platini é considerando um dos maiores jogadores do futebol mundial durante a década de 1980, vencendo a Bola de Ouro três vezes seguidas entre 1983 e 1985. Depois de aposentar como jogador, Platini se tornou treinador da seleção francesa, mas obteve um resultado decepcionante. Então, ingressou na administração do futebol, sendo fundamental na organização da Copa do Mundo na França em 1998.

Platini foi presidente da UEFA entre 2007 e 2015, quando foi afastado do futebol por seis anos depois de ser condenado por receber pagamentos indevidos do ex-presidente da FIFA, Sebastian Blatter. A pena foi reduzida a quatro anos após recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS) e termina em outubro deste ano.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ Notícias

10 maneiras criativas e econômicas pra fugir do calor em Goiânia

Onde comer, beber e até curtir o calorão!


+ Notícias

Até a caixa d'água não suportou tanto calor e derreteu!

O fato aconteceu na chácara de Egídio Alves, que fica a 11 km do centro de Araguarças


+ Notícias

Sem previsão de chuva, Goiânia se aproxima dos 40ºC e registra calor histórico

Calor não dá trégua e temperaturas são comparadas com o deserto do Saara


+ Notícias

Choro de Sandra Annenberg ao se despedir da bancada emociona: 'Fiz tudo com verdade'

Após 16 anos, ela parte para assumir o Globo Repórter ao lado de Glória Maria


+ Notícias

7 dicas de bares para sempre frequentar em Caldas Novas

Opções de bares na cidade é o que não faltam em períodos de alta e baixa temporada


+ Notícias

OVG abre inscrições para diversas atividades gratuitas em Goiânia

Adolescentes de 12 a 17 anos podem participar de oficinas, palestras e praticar esportes


+ Notícias

Quasar apresenta ‘Estou Sem Silêncio’ no teatro Goiânia

Movimentos e expressões que sempre surpreendem o público


+ Notícias

Lua cheia em noite de sexta-feira 13 é extremamente rara e pode dar sorte

Sextou de hoje é especial com previsão de muita sorte e pancadas de arrepios


MAIS LIDAS DE HOJE

+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2019. Todos os direitos reservados.