19/11/2019 22:57
Shows / Música

Em entrevista exclusiva ao Curta Mais, Toquinho e Ivan Lins falam sobre carreira, amizade e canções marcantes

A dupla se apresenta hoje em um show memorável no novo Centro de Convenções da PUC-GO

Hérica
por Hérica Marissa

Com 50 anos de carreira, realizando projetos musicais, composições com grandes músicos, inúmeros palcos e memoráveis parcerias, Toquinho e Ivan Lins, ícones da MPB pousam no palco mais charmoso de Goiânia para apresentação única. Um show que traz um repertório cheio de lembranças, com homenagens à vários artistas da música cantada dos anos 60 e 70, traz muito embalo, grandes emoções e diversas melodias ao som de um belo piano, para o palco onde a dupla já se sente em casa, como diria o próprio Toquinho “O palco é a extensão de minha casa”. O show acontece nesta sexta feira (18), às 21h no Teatro mais charmoso da cidade do novo Centro de Convenções da PUC-GO.

Nos conte um pouco da experiência com a música. De onde vieram as influências musicais e como começaram as composições?

Toquinho: Desde os primeiros contatos com o violão me vi ligado à música por tentáculos inexoráveis. O tempo não apaga o que nos arde na alma. Eu me considero um artesão, sempre apoiado no violão que representa o início e o desenvolvimento de tudo. Estudo todos os dias a procura de novos acordes e harmonias. Amo fazer o que faço, o palco é a extensão de minha casa. Nele sou simples e íntimo da plateia. Além de meu mestre maior, Paulinho Nogueira, tive aulas de harmonia com Edgard Gianullo, e adquiri conhecimento de violão clássico com Isaias Sávio, entre outros estilos. E para complementar essa mistura de tendências sempre fui um apaixonado pelo estilo de Baden Powell. O resto, a vida se incumbiu de mostrar-me usando meu talento maior: o de instrumentista.

Ivan: As minhas influências, eu tive tantas, que fica difícil de citar todas, não há menor chance. Mas assim, as mais poderosas né vieram dos estados americanos, do Tom Jobim, Milton nascimento e Dórica.

Toquinho como você enxerga o cenário de música atual da Mpb crescente no Brasil?

Toquinho: Sempre teve coisas boas e ruins em todas as épocas. Na Bossa Nova. No sertanejo, no rock, no pagode. A realidade é que uma parte dos compositores brasileiros que compõem uma elite se mantém sentada num pedestal. Há que trabalhar na música brasileira. Acabei de gravar um CD com músicas inéditas, com uma atmosfera nova, indo à luta nas redes sociais, como está sendo planejado, tentando fazer um clipe que abranja a mídia de uma maneira moderna. As pessoas têm de se mexer, inventar comunicação. Sempre achei a música brasileira acomodada em seu trono.

São quantos anos de amizade? E quantos anos de laços profissionais como dupla (Ivan Lins e Toquinho)?

Toquinho: Na verdade, há mais ou menos quatro anos que estamos apostando nesses encontros de artistas para realizar shows para públicos maiores. Percebemos que poderíamos juntar todos no palco pela sincronia musical que nos caracteriza. E resultou num show cuja dinâmica melódica se completa pelo bom humor alicerçado na longa amizade que nos une. Pertencemos a uma geração privilegiada, que carrega em sua trajetória musical, ao longo do tempo, toda beleza da estrutura melódica da Bossa Nova. Soubemos conservar essa qualidade através das várias gerações e das muitas tendências musicais, conservando as características essenciais da Bossa Nova em nossa obra, fazendo com ela se perpetue no tempo e no espaço musical sem perder seu valor inconfundível e vitalício, inclusive o cenário internacional.

Ivan: Só de amizade são 16 anos! A gente ficou amigos muito tarde, na época dos anos 60, 70, a gente não se cruzava não. Mas a gente acabou se cruzando no final dos anos 90, no início no novo século. E a gente começou a se encontrar. Já estamos fazendo esse espetáculo juntos a quase seis anos. No começo muito esporadicamente, e hoje muito mais intensamente. E ainda tem uma nova versão nossa, que é ainda com a MPP4 junto, e faz muito sucesso.

Nos conte alguma peculiaridade que aconteceu durante esses anos, que a dupla Toquinho e Ivan Lins se recordam, mas que tenha se tornado um marco nessa trajetória.

Toquinho: A parceria de palco consolida a forte amizade de longos anos. A oportunidade de trabalhar juntos estende o conhecimento de cada um e completa nossos talentos acrescentando em cada apresentação a invenção de novas performances, de novas situações que possam aprimorar nosso desempenho. Várias experiências serão relatadas no show e o público gostará de ouvi-las. 

Ivan: Nos últimos três anos a gente lotou todos os lugares de show. Evidentemente que isso pode não ser uma constante daqui pra frente, na verdade três anos com o mesmo espetáculo as pessoas podem pensar – Já vi isso, já ouvi aquilo, já ouvi falar do show – , essa é a grande particularidade e talvez a mais agradável de todas, e a participação do público, que canta praticamente o show inteiro, somos artistas que de certa maneira aprendemos a ter essa posição no palco né, dividir a nossa música com a plateia, porque na verdade as músicas que a gente canta são as músicas que foram aceitas, e a gente gosta muito disso.

Quais músicas vocês dois fizeram em parceria, e há alguma que fizeram com Vinicius ou Tom Jobim?

Toquinho: Até agora não fizemos nenhuma música em parceria. Mas durante essa longa trajetória de shows, Ivan deixou comigo um tema a ser desenvolvido. Talvez daí surja a primeira canção de uma nova parceria.

Ivan: Não, a gente nunca fez uma música juntos, nós ainda não temos essa parceria, nunca fiz música com Vinicius nem com Tom. Adoraria, né, o Toquinho sim.

Quais composições da Mpb em sua carreira mais te deixa orgulhoso?

Toquinho: Todas as composições são motivo de orgulho. São como filhos a se prolongarem pelo tempo. Mas há aquelas que marcam por várias circunstâncias, como “Tarde em Itapoan”,“Regra três”, “Aquarela”, “O caderno”, “O filho que quero ter”, “Samba de Orly”, e tantas outras.
Ivan: Não tenho como escolher, sou muito apaixonado pela música que eu faço, sou compromissado com a beleza, e forço o máximo para fazer coisa bonita, então eu sou muito apaixonado pelo que eu faço, isso chama-se alto estima, pelo menos em relação à música, minha alto estima é altíssima.

Os goianos querem saber, o que vocês estão preparando para esse show que é visto como experiência sensorial? O repertório desse show, justamente por ser numa noite véspera ao aniversário do poeta Vinicius de Moraes, traz algo novo?

Toquinho: A quantidade de sucessos até facilita, pois sabemos que em tudo o que se cantar, teremos o público nos acompanhando e vibrando com canções que de alguma forma já tocaram seus corações. Impossível deixar de fora “Tarde em Itapoan”, “Que maravilha”, “Regra três”, “Aquarela”, “O caderno”, “Samba de orly”, “Madalena”, “Lembra de mim”, “Abre alas”, “Somos todos iguais essa noite”, “Começar de novo”, “Novo tempo”, “Bandeira do divino”. Além de solos de violão, um piano que dialoga com o público e alguns casos pitorescos que gostamos de relatar e que o público gosta de ouvir. Quanto a Vinicius, ele sempre é e será homenageado em cada show, independentemente de datas especiais.

Ivan: Esse show na verdade é uma apresentação de sucessos meus e do Toquinho. Nós estamos vindo aí para dividir a nossa música, com a plateia que canta muito, e depois a gente canta junto também.

Toquinho e Ivan, qual a expectativa vocês esperam do show trazido para o público goianiense?

Toquinho: Que o público se emocione e participe. O show convida pela sua característica intimista e jovial.

Ivan: O público participa e canta em praticamente 99% do espetáculo, e isso é muito bom porque o show fica muito alegre, tem uma energia muito bonita, muito positiva, é isso, esse é o papel que a gente entende que a música tem que ter, é esse o espetáculo que nós vamos levar para vocês!

819fc1ed1ba6b1a8fdf0433b742a2b60.jpgFoto divulgação

SERVIÇO
TOQUINHO & IVAN LINS - 50 ANOS DE MÚSICA
Data: 18 de outubro (sexta-feira)
Local: Teatro do Centro de Convenções da PUC-GO. Câmpus II da PUC-GO, Avenida Engler, 507 - Jardim Mariliza
Horário: 21h30
Classificação: 14 anos
Pontos de vendas de ingressos: Eventim (online) com taxa de conveniência e Clube Curta Mais do Shopping Bougainville - Piso 1 (segunda a sábado das 10h00 às 22h00)
Informações: (62) 3931-0505

Ingressos com descontos exclusivos:
A partir de R$ 50 - Assinante PREMIUM Clube Curta Mais
A partir de R$ 60 - Assinante FREE Clube Curta Mais

2f60fe1a65beeb3c57293c9c1194f409.png

Siga Curta Mais nas redes sociais:

Curta Mais no Facebook

Curta Mais no Instagram

Curta Mais no Twitter

Notícias sobre:

NOTÍCIAS RELACIONADAS


+ Shows

Samba raiz: Solon faz show de graça em Goiânia nesta terça-feira

Natural do Rio de janeiro, Solon é um tradicional sambista das rodas de samba de Goiânia


+ Shows

Joelma (ex-Banda Calypso) grava DVD 25 Anos de carreira em Goiânia

O show terá a participação especial de Lauana Prado (The Voice), Xand Avião, Ludmilla Ferber e muito mais!


+ Shows

Música 'Desconstrução' de Tiago Iorc faz crítica para as relações modernas das redes sociais

Com show marcado para Goiânia o cantor traz ao repertório suas novas canções poéticas e marcantes


+ Shows

Dj Thiago Jesus toca o melhor do Black, Soul e Jazz nesta sexta-feira em Goiânia

O projeto DJÁZZ traz a nata da música mundial ao Zimbro Gin&tonic Bar


+ Shows

Toni Garrido faz show de graça nesta quarta-feira em Goiânia

Toni Garrido traz ao show todos os sucessos de sua banda, o Cidade Negra. Músicas como “Girassol”, “A Sombra da Maldade”, “Estrada” e “O Erê” estão no repertório do show



+ Shows

Bruna Mendez faz show gratuito neste sábado em Goiânia

O show é lançamento do cd Corpo Possível, feito dentro do projeto Natura Musical


+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2019. Todos os direitos reservados.