16/10/2019 19:39
Notícias / Conteúdo

Vespa volta a ser vendida no Brasil e Brasília pode ter loja própria da marca

A partir do dia 10 de outubro de 2016 as primeiras unidades começam a ser vendidas no país

Redação
por Redação Curta Mais

A clássica scooter Vespa vai voltar a ser vendida no Brasil a partir do dia 10 de outubro de 2016. 

A expectativa é vender 2.000 unidades ainda este ano – número que subirá para 12.000, em 2017, e 35.000, em 2018, quando a Piaggio espera ter uma fábrica própria, provavelmente em Manaus, para a produção também de outros modelos do grupo (ainda não definidos).

As vendas começam, pela internet, apenas para a série especial Primavera 150, de mil unidades numeradas e com grafismos especiais.

O Brasil também receberá o modelo Primavera com motor de 125 cm³, o Sprint 150, GTS 300 com ABS e 946 Emporio Armani 150 com ABS – essa feita em comemoração aos 400 anos da marca.

A companhia investirá entre R$ 5 milhões a R$ 7 milhões em cada uma das lojas, que abrigarão o conceito da tecnologia, modernidade e estilo em um único espaço.

Pelo o que já foi adiantado, o retorno da Vespa vai começar com uma loja em São Paulo, mas já com planos de abrirem outras em Brasília (DF), Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ). Será o início da operação, com unidades importadas, até começar a montagem no Brasil.

O preço ainda permanece em segredo. “Será um preço competitivo, mas que abarque toda a vantagem da experiência de ser dono de uma Vespa”, anunciou a empresa.

+ Volkswagen revela como será a nova Kombi

A primeira vez que a Vespa foi montada no Brasil foi em 1958, quando os modelos M3 e M4 foram feitos pela empresa carioca Panauto, com motor dois tempos, de 150 cc de cilindrada. Depois, a partir de 1974, a scooter passou a ser montada na Zona Franca de Manaus (AM) a partir de 1974, nos modelos Ciao 50 e 150 Super durante 10 anos até que as marcas Caloi e Piaggio se uniram  para formar a Motovespa.

Então apareceu o modelo PX, com motor de 198 cc, equipado com ignição eletrônica que funcionava com câmbio de 4 marchas. Suas vendas foram crescendo no Brasil e atingiram o auge em 1986, quando a Vespa se tornou a segunda marca de scooters mais vendida no Brasil, atrás apenas da Yamaha.

Mesmo com o lançamento de concorrentes mais modernos, a Vespa mantinha seu público fiel, mas não resistiu por um lugar de destaque no mercado. A partir de 1987 suas vendas foram caindo até o final da produção no Brasil, em 1990.  Depois disso, a marca chegou a vender no País apenas unidades importadas. (Com informações de IG Carros).

Clássica

Clássica

Clássica

(Fotos: divulgação)

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ Notícias

Aeroporto de Brasília é o primeiro do Brasil a ter uma padaria

A panificadora Vitória produz na hora lanches, bolos salgados e até o tradicional pão francês quentinho


+ Notícias

Aeroporto de Brasília é considerado o 4º mais pontual do mundo em 2016

O Aeroporto da capital federal é o único brasileiro que figura na lista dos cinco mais pontuais da categoria


+ Notícias

Torre de TV é interditada após chuvas fortes em Brasília

As fortes chuvas danificaram o equipamento que dá acesso ao mirante da torre


+ Notícias

As melhores cidades para morar em cada região do Brasil

Brasília lidera no Centro-Oeste


+ Notícias

8 receitas de suco detox para quem exagerou na ceia de Natal

Além da desintoxicação, muitos sucos auxiliam no emagrecimento, no sono e ajudam a manter a disposição e a energia


+ Notícias

Queda de avião no Amazonas deixa três mortos; entre eles, piloto do Distrito Federal

A aeronave desapareceu por volta das 10h30 de sexta-feira e foi encontrada durante a tarde


+ Notícias

Charmoso wine bar desembarca em lounge do Aeroporto de Brasília

Parceria das marcas IMC e La Pastina, o charmoso quiosque oferece 18 rótulos em taça para quem quiser um trago antes do voo


+ Notícias

Clientes se vingam de motorista que estacionou em duas vagas; veja foto

A cena inusitada aconteceu em um mercado e foi compartilhada no Facebook, agradando muitos internautas


+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2019. Todos os direitos reservados.